sexta-feira, 30 de março de 2007

Lugo

Lugo é a cidade dedicada a Lugh, divindade solar celta que, na respectiva mitologia, chefiou os povos da deusa Dana - os Tuatha dé Danann - em luta contra Balor, personagem de um só olho (ciclope ?), rei dos Fomorii, os primeiros habitantes da Irlanda.
cidades tamém dedicadas a Lugh são as variantes Lyon (Fr.), Laon (Fr.) e Leyden (Ge.).
Lugo é a capital da Província Galega do mesmo nome, a de maior superfície e a de menor densidade populacional.
os Romanos fundaram a cidade de Lucus Augusti no ano 15 ou 14 a.C. em lugar sagrado dos celtas.

terça-feira, 27 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra M (1)

(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)



Mac-
a Mei-


Macalhona –
Maçã –
Maçada –
Maçaínhas –
Maçal do Chão –
Mação –
Maçãs de Caminho – "Mansões” ou ”Casas-Abrigo” no Caminho para Santiago
Maçãs de Dona Maria –
Maceda (Gz.) –
Macedo de Cavaleiros –
Maceió (Br.) –
Maceira –
Maceira do Lis –
Maceirinha – diminut. de “Maceira”
Maceirós (Gz.) – diminut. plur. de “Maceira”
Machada –
Machico -
Machio –
Machuqueira –
Macida –
Macieira –
Macieira da Maia –
Macieira de Alcoba –
Macinhata –
Maçoida –
Maçores – ver “Açoreira” e “Açores”
Madalena –
Madeira –

Madeira - também em "S. João da Madeira". neste caso, vem de "Mateira", "zona de mato"

Madre de Deus – preciosismo por “Madredeus”
Madredeus –
Madureira –
Madureirinha –
Mafamude –
Mafra –
Magalhães –
Magoito –
Magos –
Magos – em “Salvaterra de Magos”
Magueija –
Maia – tratada linguisticamente como se fosse “A Maia”, por isso deve ser substantivo
Maiorca –
Maiorga – o mesmo que Maiorca (?)
Mala – topónimo relacionado com a entrega de correio
Maladão –
Malafaia –
Malagueira – de “Málaga”? povoado de gente vinda de Málaga?
Malaposta - “local de paragem e pernoita da Malaposta” (Correio)
Malaposta do Carqueijo –
Malaqueijinho –
Malaqueijo –
Malcata - orónimo. em "Serra de Malcata"
Malga –
Malhada – cf. “Majada” (Cast. -León)
Malhada do Meio –
Malhada do Nazo –
Malhada dos Coelhos –
Malhadais –
Malhadoura –
Malhada Redonda –
Malhada Sôrda –
Malhada Velha –
Malhadita – diminut. de “Malhada”
Malhão – local onde há (havia) um montículo de terra para delimitar propriedade
Malhorio –
Malhou –
Malpartida –
Malpica (Pt. e Gz.) –
Malpica do Tejo –
Malta – freguesia pertencente à Ordem de Malta?
Malveira –
Malveira da Serra –
Mamarrosa –
Mamodeiro –
Mamouros –
Manaus (Br.) –
Mancelos – diminut. plur. de "Manços"
Maneixas –
Mangação –

Mange la Vaca – graf. correcta desconhecida. terminação “-vaca” como “Caravaca” (Esp.)

Manguita –
Manhedes –
Manhouce –
Manhufe - ver Comentºs
Manigoto –
Manique do Intendente –
Manizola –
Mansidão (Br.) –
Manta Rota - em "Praia da Manta Rota"
Manteigas - etnónimo? “terras da(s) tribo(s) do Munda”/“Mondego”
Maqueda –
Maranhão –
Maranhão” (Br.) –
Marão - orónimo. em "Serra do Marão". raiz “Mor”: penedia
Marateca –
Marchica – do antigo concelho de “Marachique”?
Marchicão – do antigo concelho de “Marachique”?

Marco – lugar onde está (va) um sinal de delimitação territorial
Marco de Canavezes –
Marco do Distrito –
Marco dos Pereiros –
Mareco –
Marecos –
Marés –
Margalho –
Margaride –
Margem –
Marianaia – de “al-meria”torre de vigia?
Maria Gomes – graf. correcta desc. ver “Marianaia”
Maria Pires –
Maria Queimada – ver “Marianaia”
Maria Santinhos – ver “Marianaia”
Maria Vinagre – ver “Marianaia”
Marinha da Guia –
Marinha das Ondas –
Marinha Grande –
Marinha Pequena –
Marinhais –
Mariola – nome de monte. relação com “Marão”? é um diminut. femin.
Marmeleira –
Marmeleiro –
Marmelete –
Marmelos –
Marofa - orónimo. em "Serra de Marofa"
Marouquinho –
Marranços –
Marrazes –
Marrela –
Marrotes –
Martianas –
Martim –
Martim Branco – graf. correcta desc.
Martinhal – por “Murtinhal”? ver “Murtinhal”
Martinchel –
Martingança –
Marvana – relacionado com “Marvão”?
Marvão – relacionado com “Marvana”?
Marvila –
Marzagão –
Mascanho
Mascarenhas –
Massada – ver "Maçada"
Massadas – por “Maçadas”?
Massamá – árab. “maçama”: “(lugar) que está alto”
Massarelos –
Mastrontas –
Mata –
Mata do Maxial –
Matacães –
Mataduços – por “Matadussos”? (mata d’ussos=mata de ursos)

Mata Filhos – graf. correcta desc. provável hidrónimo: ver “Barranco de Mata Filhos”

Mata-Mouros – do árab.”matmûra” (“matamorra”): pequeno silo ou subterrâneo

Matança – de “mato”+ suf. abund. “ança”. a de Fornos de Algodres é referida, em 1528, como “Matancia”

Matança (Gz.) – graf. altern. “Matanza”. ver “Matança”
Mata Romeiros – ver “Mata Filhos”
Mateira -
Matela – diminut. de “Mata”. o mesmo que “Matinha”
Mateus –
Matinha –
Matinho – diminut. de "Mato"
Mato –
Matosinhos – por “Matozinhos”: diminut. plur. de “Mato”
Maxial –
Maxiais –
Mazouco – cf. “Masueco” (León-Cast.)
Meã –
Meãs –
Meãs do Campo – anteriormente chamada “Póvoa”
Meadela –
Mealha –
Mealhada –
Meãs do Campo –
Meca –
Meco –
Mêda –
Mêda de Mouros – refere-se a uma mamôa
Medeiros (Gz.) –
Medelim –
Medronhal –
Medronhais –
Meia Martins –
Meiginhos –
Meijão – do grupo”Meij-”/”Meix-”
Meijoadela –
Meimão –
Meimoa –
Meira (Gz.) –
Meira - orónimo. em "Serra de Meira" (Gz.). ver “Serra de Meira”
Meires –
Meirinhas –

sábado, 24 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra L (2)

(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)


Lic-
a Luz-


Liceia –
Ligares –
Lijó – diminut. femin. de “Lixa”. ver “Alijó”

Lima - hidrónimo. em "Rio Lima" ou "Limia". cf. “Limmat”, rio de Zurique, juntamente com o “Sihl”. ver “Sil”

Limãos – em Trás-os-Montes. terra povoada por gente do Vale do Lima (Gz.)

Limeiras –
Limões - no Entre-Douro-e-Minho. terra povoada por gente do Vale do Lima (Gz.)

Linda-a-Pastora –
Linda-a-Velha –
Lindoso –
Linhaceira –
Linhar –
Linhares –
Linhares da Beira –

Linhó – diminut. de “Linha”. sendo assim, deve dizer-se “em Linhó” e nunca “no Linhó”

Lis - hidrónimo: "rio “rio”
Lisandro - de língua mediterrânica oriental: “… + rio” ou "Rio….”
Lisboa – grafada “Lixboa”, no séc. XVI
Lisga –
Litela –
Litém – ver “S. Simão de Litém” e "Santiago de Litém"
Lobagueira –
Lobão – ver “Ribeira de Lobão”
Lobeira (Gz.) –
Lobelhe - pronunc. “Lobêlhe”
Lobios (Gz.) -
Lobelhe - pronunc. “Lobêlhe”
Lobite –
Lodeiro –
Lodões –
Logaçais –
Lôgo de Deus –
Lograssol –
Loiriçal – o mesmo que “Louriçal”
Loivo – ver “Loivos”
Loivos – ver “Lobios”
Lomba (Pt. e Gz.) –
Lombada –
Lombadinha –
Lomba do Pereiro (Gz.) –
Lombardo – “povoado lombardo”
Lombeiro –
Lombo de Gorbelas –
Lombo do Asno – “Asno”: hidrónimo?
Lombrigo –
Longos –
Longra –
Longras –

Longroiva – parece conter a ideia de “alto e estreito”. do celt.: “longo+briga”

Lopes –
Lordelo - pronunc. “Lordêlo”
Lordemão –
Lordosa –
Loriga –
Lorvão – do árab.: “al-Urban”? ver “Ribeira de Lorvão”
Loulé –
Loulé Velho –
Loure – ver “S. João de Loure”
Loureça (Gz.) - graf. altern. “Loureza”
Lourêdo –
Loureira –
Loureiro –
Louriça –
Louriçal –
Louriçal - como hidrónimo, ver "Rio Louriçal"
Louriceira –
Lourinhã –
Lourinhal –
Louro (Gz. e Pt.) -

Louro - hidrónimo. em "Rio Louro (Pt. e Gz.)– cf. com “Loire” (Fr.)

Lourosa –
Lourosa da Comenda –
Lourosa da Trapa –
Lousã – cf. “Lausanne” (CH)
Lousada –
Lousado –
Lousal –
Lousame (Gz.) –
Lousinho –
Lovelhe – diminut. de “Loivo”? ver "Lobelhe"
Lubazim –
Ludeira (Gz.) –
Ludo –
Lufinha –
Lufrei –
Lufreu –

Lugo (Gz.) – cidade dedicada ao deus celta Lug. cf. Lyon (Fr.): ”lugdunnum”

Lumarinho –
Luso –
Lustosa –
Luzelos –
Luzim –

quinta-feira, 22 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra L (1)

(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)


Lab-
a Lez-

Labercos - contributo de "Nóbrega". ver Comentº.
Labiados –

Laboreiro – como hidrónimo ver "Rio Laboreiro". aparece tamém em "Castro Laboreiro"

Labrador (Gz.) - hidrónimo. em "Rio Labrador"
Lebureiro - grafava-se “Leboreiro" no séc. XVI
Laboreiro - como orónimo ver "Serra de Laboreiro"
Labreda –
Labruge – graf. altern. de “Labruje”
Labruje –
Labrujó – diminut. de “Labruje”, ou melhor, de "Labruja"
Laça (Gz.) – graf. altern. “Laza”. relação com "Leça"?
Ladário –
Ladeira –
Ladeira do Pinheiro –
Ladeira da Santiva –
Ladela –
Ladoeiro –
Ladra (Gz.) - hidrónimo. em "Rio Ladra"
Ladrão – hidrónimo. cf. "Ladra"
Ladrongueira –
Lafões – por “Alafões”, do árab.
Lafões”, S. Cristóvão de –
Lagarelhos – diminut. de "Lagares". var. dialect.
Lagares –
Lagares da Beira –
Lagarinhos – diminut. de “Lagares”. var. dialect.
Lagarteira –
Lage –
Lagedo - pronunc. “Lagêdo”
Lageosa –
Lageosa do Mondego –
Lago –
Lagoa –
Lagoa Azul -
Lagoa Comprida –
Lagoa das Braças –
Lagoa das Sete Cidades -
Lagoa da Vela –
Lagoa de Santarém –
Lagoa de Óbidos –
Lagoa Parada –
Lagoeiros –
Lagonota (Mir.) –
Lagos –
Lagosteiros –
Laje –
Laje das Pias –
Laje dos Três Concelhos –
Lajedo – o mesmo que “Lagedo”
Lajes –
Lajes das Flores –
Lajes do Pico –
Lalim (Pt. e Gz.) – graf. altern. na Galiza:“Lalín”
Lama –
Lama do Brincadoiro – ver “O Brincadoiro”
Lamaçães –
Lama Chã –
Lamares –
Lamarosa –
Lamas (Pt. e Gz.) – celt. “prado húmido”
Lamas de Moledo -
Lamas de Mouro – por “Lamas de Moure”?
Lamas de Olo - pronunc. “Lamas d’Ôlo”“
Lamas do Vouga –
Lama Susana – signif. "Lama de Cima"
Lamego - pronunc. “Lamêgo”
Lameira –
Lameira de S. Geraldo
Lameira de S. Pedro –
Lameirão –
Lameiras –
Lameirinha – diminut. de “Lameira”
Lameirinho – diminut. de “Lameiro”
Lameiro –
Lameiro Longo –
Lameirona –
Lamelas – diminut. de “Lamas”
Lamo –
Lampaça –
Lanção –
Landal –
Landedo –
Landeira –
Landim -
Lanhas –
Lanhelas – diminut. de “Lanhas”
Lanheses – gente oriunda de “Lanhas”
Lapa – como orónimo ver "Serra da Lapa"
Lapela – diminut. (mediev.) de “Lapa”
Lapinha – diminut. de “Lapa”
Lara –
Laracha (Gz.) –
Lares –
Largo do Fundo da Quelha –
Larinho –
Larouco (Gz.) – não é a “Serra de Larouco”: significa “Serra”?
Larouco - orónimo. "Serra de Larouco":“serra da serra”?
Lastras –
Latas da Serra –
Laundos –
Lavacola (Gz.) –
Lavacolhos -
Lavajo –
Lavariz –
Lavasenda
Lavatodos –
Lavadores (Pt. e Gz.) - pronunc. “Lavadòres”. relação com “Lavos”?
Lavadouro –
Lavegadas –
Lavos – em "Costa de Lavos"
Lavoura –
Lavra –
Lavradas –
Lavradio –
Lavre –
Laxe (Gz.) – graf. altern. de “Lage”, "Laje"
Laza (Gz.) – graf. altern. de "Laça"
Lazarim –
Lebução –
Lebureiro (Gz.) – var. de “Laboreiro”
Lea (Gz.) - hidrónimo. em"Rio Lea"
Leça – hidrónimo. do grupo linguístico de “Liz”/ “Lizandro”?
Leça do Balio –
Leça da Palmeira –
Legoinha –

Légua – lugar que dista uma légua de um ponto de referência, que é necessário identificar

Leirado (Gz.) – ver “Quintela de Leirado”
Leiro (Gz.) –

Leixões – arrecifes de pedra muito frequentes na Costa de Entre-Douro-e-Minho e da Galiza

Lemede - pronunc. “Lemêde”
Lemos (Gz.) – terra da tribo dos Límios, habitantes do vale do Lima
Lena - é hidrónimo. ver "Rio Lena"
Lentiscais –
Lentisqueira –
Leomil – é orónimo. ver "Serra de Leomil"
Lerez (Gz.) - hidrónimo. em "Rio Lerez"
Levandeira –
Lever – é um hidrónimo
Levira - é hidrónimo. da família "Lever"
Lexoso (Gz.) - hidrónimo. em "Rio Lexoso"
Lezíria –
Lezírias –

quarta-feira, 21 de março de 2007

Toponímia Portuguesa do Litoral Brasileiro



jolorib acabou de me dar uma ideia: o litoral brasileiro tem uma toponímia portuguesa muito especial, sobretudo no que toca a meses e a festas religiosas.
vejamos:

Angra dos Reis
Baía de Todos os Santos
Forte dos Reis Magos
Natal
Rio de Janeiro

não procuro mais, por agora. mas o que temos já?

nomes de Inverno, no Hemisfério Norte, e nomes de Verão no Hemisfério Sul. Cabral chegou a 22 de Abril.
nada de Maios, Junhos, Julhos e Agostos. que quer dizer tudo isso?
creio que é simples: foi planeado assim. chegar no destino com boas condições de clima, sem chuva forte, com pouca necessidade de roupa.
mas como planear uma chegada a um lugar desconhecido?

é. será que era assim tão desconhecido? para além de velhas lendas, há viagens secretas que ajudam a entender o Tratado de Tordesilhas.



terça-feira, 20 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letras H, I e J

(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)



Her-
a Juv-


Herdade –
Herdade da Baracha –
Hermosende (Gz.) – o mesmo que “Ermesinde”
Horta –
Horta Grande –

Hospital – em "Oliveira do Hospital". indica pertença da Ordem Militar do Hospital ou Hospitalários



Ibirapuera (Br.) – tupi-guarani: "ybirá" (árvore) + “puera” (que já não há): antiga mata (que já não é mata)

Idanha – do lat. “Igitanea”, de palavra pré-latina
Idanha-a-Nova –
Idanha-a-Velha –
Ifanes –
Igarapuava do Norte (Br.) –
Igreja –
Igrejinha – o mesmo que “Grijó”, mas mais recente

Iguaçu (Br.) – tupi-guarani: por “Iguassu”: rio (y) grande (guassu)

llha –
Ilha das Flores – também há uma Ilha das Flores na Indonésia
Ilha de Faro –
Ilha de Porto Santo –
Ilha de Santa Maria –
Ilha de São Tomé -
Ilha de São Jorge –
Ilha de S. Miguel –
Ilha do Corvo –
Ilha do Faial –
Ilha do Pico –
Ilha do Príncipe -
Ilha Graciosa –
Ilhas – é hidrónimo. ver Ribeira de Ilhas
Ilhas Berlengas –
Ilhas Cíes (Gz.) –
Ilhas Desertas –
Ilhas Ons (Gz.) –
Ilha Terceira –
Ílhavo –
Ilhéu do Rosário –
Infantado –
Infantas –
Infesta – ver “S. Mamede de Infesta”
Infesto –
Infias (Pt. e Gz.) –
Ingarnal –
Insalde –
Ínsua –
Ínsua dos Bentos –
Ínsuas –
Ipanema (Br.) – tupi-guarani: ”y” (rio) + “panema” (mau) – “Rio Mau”

Ipiranga” (Br.) – tupi-guarani: “y” (rio) + “piranga” (peixe vermelho): “Rio dos Peixes Vermelhos”

Iria – do eusk. “illi, iri”: “cidade”

Irijó” – o mesmo que “Grijó”. “Irijó” é uma forma intermédia entre “Ecclesiola” e “Grijó”

Irimia Alta (Gz.) –
Irimia Baixa (Gz.) –
Isna - hidrónimo. em "Ribeira de Isna". cf. “Ribeira d’Ínsua”

Itamarati (Br.) – tupi-guarani: “itá” (pedras) + “moroti” (muito brancas): “pedras alvas”

Itapuã (Br.) – tupi-guarani: “cabo de pedra”, “pedra erguida” (cf. “Perafita”, Padrão”, “Marco”)

Izeda - pronunc. “Izêda”



Jaburandi (Br.) –
Jacente –
Jã da Rua – lat. "jana": porta
Jafafe de Baixo –
Jafafe de Cima –
Jamprestes –
Janeiro de Baixo -
Janeiro de Cima –
Jangrussias –
Jardia –
Jardoeira –

Jariça – local de minas (de ouro, neste caso). cf. “Urgeiriça” – local de minas (de estanho e urânio)

Jarmelo -
Jazente – o mesmo que Jacente -

Jericoacoara ou Jericoaquara (Br.) – tupi-guarani: “yurucuã” (tartaruga) + “coara”/”quara” (cova, buraco): sítio das tartarugas, tartaragueira, (praia) das tartarugas

Jerumenha (Br.) - ver "Juromenha"
Jerusalém do Romeu –
Joane - pronunc. “Juane”
Joazim –
Jolda –
Jonaverge –
Jordana –
Jordões –
Jorro –
Jou –
Jovim –
Jugueiros –
Junça –
Juncal –
Junceira – o mesmo que “Junqueira”
Juncide –
Jungueiros –
Junqueira –
Junqueiro –

Junta das Águas – local onde confluem vários regatos para o leito de um ribeiro

Juromenha –
Jusã –
Justes –
Justiça –
Juvandes –

segunda-feira, 19 de março de 2007

Salvaterra de Magos


fazem-me a pergunta: como interpretar o topónimo "Salvaterra de Magos"?
"salvaterra" significa "terra livre" (de impostos ou de outras obrigações). quanto a "magos", e tendo em conta a sua localização, a melhor explicação que encontrei é a origem celta, que aponta para o significado de "campo". seria, pois, o equivalente à forma moderna "Vila Franca do Campo", ou mesmo "Foros da Campina".
existem vários topónimos "Magos" aos quais se ajusta bastante bem a etimologia celta.

mas o "Forte dos Reis Magos", em Natal, no Brasil, já tem que ver com os lendários reis do Oriente que foram visitar o Deus-Menino: refere-se à época do ano em que aquela parte do Brasil foi descoberta. ver Comentº de Jolorib.

domingo, 18 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra G (2)

(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)



Gon-
a Gum-


Gonça –
Gonçalo -
Gonçalo Bocas – graf. correcta desc.: “Gonçalbocas”?
Gonçalveiros –
Gondar (Pt. e Gz.) –
Gondarém –
Gonde - é hidrónimo. em "Ribeira de Gonde"
Gondelim –
Gondesende –
Gondiães –
Gondião –
Gondim –
Gondizalves –
Gondolim –
Gondomar (Pt. e Gz.) –
Gondomil –
Gondoriz –
Gonja –
Gontilhe –
Gontim – o mesmo que “Gondim”
Gordaria –
Gorgulho –
Gorma –
Gostei –
Goujoim –
Gouvães da Serra –
Gouveia –
Gouviães –
Gove –
Graça do Divor –
Grada –
Grade –
Gradil –
Gradiz –
Gralhas –
Gralhós – diminut. de “Gralhas
Gramaça –
Gramaços –
Gramejo –
Grândola –
Granja –
Granjal –
Granja Nova –
Gralheira- é orónimo. está em "Serra da Gralheira"
Gravanço –
Gregos –
Gricha – por “Grixa”, var. de “Ereixa”: “Igreja” (?)
Grijó – lat. mediev.: “ecclesiola”, dimin. fem.: “igrejinha”
Grimancelos -
Groba – o mesmo que “Grova”. que relação com “O Grove”?
Grou –
Grova – ver “Groba”

Grove (Gz.) - ouvi pronunciar pronunciar “Hrove”. ver “O Grove”

Grovelas -
Guadramil –

Guanabara (Br.) – tupi-guarani: por “Guanabará”: goa (baía) + nã (que parece) + pará (mar): grande baía

Guanal –
Guarda (Pt. e Gz.) – lugar onde existiu uma guarnição militar de vigia

Guarda Inglesa – lugar onde existiu uma guarnição militar inglesa durante as chamadas “Invasões Francesas”

Guarda Nova –
Guardizela – termin. milit: pequeno posto de guarda (vigia)
Gueifães –
Guerreiros do Rio –
Guetim –
Guia – o mesmo que Farol
Guiães –
Guifões –
Guilhabreu –
Guilhafonso –
Guilheiro –
Guilhofrei –

Guilhufe – é o genitivo do antropónimo de um proprietário germânico

Guimarães – propriedade de “Vímara”
Guimarães de Tavares –
Guimarei –
Guinchal –
Guincho –
Guiras –
Guirela –
Guistola –
Guistolinha –
Gumiei -

quinta-feira, 15 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra G (1)


(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)



Gab-
a Gom-


Gabilães –
Gaeiras –
Gafanha –
Gafanha da Boa-Hora –
Gafanha da Encarnação –
Gafanha da Nazaré –

Gafanha de Aquém – pressupõe um posicionamento geográfico da parte de quem diz “Aquém”, como no caso do “Além Tejo” (Alentejo) e da “Outra Banda”

Gafanha do Carmo –
Gafaria – significa “terra onde se recolhe leprosos”

Gaia – celt. (?) “calle” (?) > Cália > Gália. lugar principal dos callaicos/ da Callecia – Galiza.

Galafura –
Gáfete –
Gagos –
Galafura –
Galeana –
Galegos –
Galeotas –
Galicia – o mesmo que Galiza (Região)
Galifonge –
Galinheiro (Gz.) – graf. altern. “Galiñeiro”
Galiza – terra povoada por gente vinda da Galiza
Galiza (Região) – terra de “Galos” ou Celtas
Galizes – terra povoada por galegos (ou galizes)
Galveias –
Gamão –
Gamarão de Baixo –
Gamarão de Cima –
Gambelas –
Gamona –
Gamonal –
Gançaria –
Gândara –
Gândara de Espariz –
Gandarela – diminut. de “Gândara”
Gandra – o mesmo que “Gândara”
Ganfei –
Gardete –
Garei –
Garima –
Garrida (Gz.) –
Gasparões –
Gatões – gente originária da (serra da)Gata?
Gaudinho –
Gavião –
Gavião de Baixo –
Gaviãozinha – atenção a este diminut. femin.!
Gavieira –
Gavinheira –
Gavinhos –
Gebelim –
Geme –
Gemieira –
Genísio –
Genrinhas –
Geraldes –
Geraz de Lima -

Gerês - em "Serra do Gerês"(Pt.) – ver Serra de Xurés ou Jurés(Gz.)

Geria –
Germil –
Germinade –
Gestaçô – diminut. masc. de Gestaço (?)
Gesteira –

Gibraltar – aldeia de gente vinda de Gibraltar. de "Gibraltar", do árab. Djebel-al Tárik ("o rochedo de Tárique")

Giela –
Giesta –
Giesteira –
Ginzo – ver “Xinzo de Limia”. em Novelas (Penafiel) há uma "Rua do Ginzo"
Gironda (Gz.) - graf. altern. “Xironda”
Goães –
Goiã (Gz.) - graf. altern. “Goián"
Goiás (Br.) –
Godeal –
Godinhaços –
Goiás (Br.) -
Góis –
Golas –
Goldra –

Golegã – de “Galegana”, “Galegã” – terra galega, de galegos

Golpe –
Gomes Aires –
Gomesende (Gz.) –

quarta-feira, 14 de março de 2007

Sangalhos



"Sangalhos" (concelho de Anadia, distrito de Aveiro) deriva de Sancto Galios, assim como Saint Gallen/Sankt Gallen/San Gallo (Suiça). em ambos os casos, a fundação deve remontar ao séc. VII, quando a invocação deste santo esteve em voga. no entanto, o nome do santo pode trazer uma mensagem escondida, pois "galo" é o mesmo que "celta". quero dizer, cristianizou-se com este nome alguma forma de viver, de pensar e de se relacionar com o divino que remonta ao tempo dos celtas. ver post.







terça-feira, 13 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra F (2)


(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)


Fra- a Fuz-


Fradelos – diminut. de “Frades”
Frades (Gz.) –
Fraga –
Fraga da Pena –
Fragas –
Fragosela – por “Fragozela”
Fráguas –
Fraguinha –
Fragura –
Fraião –
França – aldeia povoada por gente que veio de França
France – ver “S. Pedro de France” –
Francelos – diminut. de “Francos”
Francos – aldeia povoada por gente que veio de França (cruzados?)
Francosa –
Fradizela –
Fraga do Monte da Iria –
Fragosela –
Fratel –
Frazão –
Freamunde – de
Freamund?
Frechal –
Fregim –
Freguesia do Ó (Br.) –

Freiria – terra de ou dos freires (irmãos/ cruzados/ monges de Alcobaça -? -)

Freiriz –
Freita – em “serra da Freita”. de “fracta”: partida, quebrada
Freitas –
Freixianda –
Freixieiro -
Freixiel –

Freixo-de-Espada-à-Cinta – o mesmo q. “Freixo de… (grafia exacta desconhecida) ”. ver “Porto da Espada”. foi chamada apenas “Freixo”. já se escreveu, e bem, “Freixo de Espadacinta”. “Espadacinta” é topónimo na confluência dos Rios Huebra e Douro, em Saucelle, Província de Salamanca, mesmo junto à fronteira com Portugal, na região de Freixo-de-Espada-à-Cinta.
por isso, deverá escrever-se “Espadacinta” e nunca “Espada-à-Cinta”.
“Cinta” pode querer dizer “apertada”, “estreita”, fazendo alusão às gargantas do Douro na região das “Arribes del Duero”

Freixo de Numão –
Freixos –
Fresno – hidrónimo: ver “Rio Fresno”

Fresulfe – topónimo de origem germânica. é o genitivo de um antropónimo, indicando a quem pertence(u) a villa ou quinta

Frias –
Frias de Baixo –
Frias de Cima –
Fridão –
Friestas –
Friões –
Friol (Gz.) –
Friúmes –

Fronteira – lugar onde houve uma delimitação estável do domínio árabe

Frossos –
Fujaco –
Fujacos –

Funchal – há o "Funchal" da Madeira, mas também no Continente, na Região Saloia

Fundada –
Fundão –
Fundevila – o mesmo que “Fundo de Vila”
Fundo da Caldeira –
Fundo de Vila –
Furadouro –
Furelos (Gz.) – diminut. de “Furos”?
Furna –
Furna Que Sopra –
Furnas –
Furtado –
Fuzeta –

segunda-feira, 12 de março de 2007

Tamagos



os Tamagani eram uma gens ou tribo de povos que viveram polas beiras do Tâmega, da nascente até onde hoje se situa Fezas de Baixo (Feces de Abaixo). tal como os Aobrigenses, tamém figuram nas colunas epigráficas da ponte romana de Chaves, por terem fornecido trabalhadores para a sua construção. estão representados nos topónimos galegos:

Tamagos
Tamaguelos
Tameirom
Tamicelas





domingo, 11 de março de 2007

Oimbra



vila, capital do município do mesmo nome, da comarca de Verim, Província de Ourense. o seu nome lembra imediatamente a "-briga" celta. e evoca também a Aóbriga do tempo dos romanos. os seus habitantes deixaram marcas na epigrafia romana de Portugal. a chamada "Fonte do Ídolo", em Braga, foi mandada arranjar e decorar por Celico Fronto Abimogidus Aobrigensis. estiveram na construção da ponte de Chaves, como consta de uma das colunas epigráficas. isso indica que a tribo seria directamente beneficiada pela construção da ponte. o que está de acordo com a localização de Oimbra.
no entanto, a ligação "Aóbriga" / "Oimbra" não será directa, é mesmo até um mistério, já que o bispo Idácio, no séc. V, localizava os aobrigenses na bacia do rio Minho, perto de Ourense. além disso, Oimbra está paredes-meias co território das antigas tribos do Támega (ou Tâmega).

quarta-feira, 7 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra F (1)

base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)


Fab- a Foz-


Fabarrelinho –
Facha –
Facho – o mesmo que “farol”?
Facho de Azóia –
Fafe –
Faial - em "Ilha do Faial"
Fail - pronunc. “Faíl”
Fajã –
Fajã dos Bodes –
Fajã dos Cuberes –
Fajão –
Fajãs –
Fajozes –
Fala –
Falacho –
Falagueira -
Faleital (Mir.) –
Faleito (Mir.) – o mesmo que “Faleto”: “Feto”
Faleto (Mir.) – o mesmo que “Feto”
Falgarosa –
Falgoselhe –
Falgueira da Asna (Gz.) –
Felitosa (Mir.) – o mesmo que “Feitosa” ou “Fètosa”
Falorca –
Falperra (pronunc. “Falpêrra”) (Gz. e Pt.) –
Famalicão –
Famalicão da Nazaré” – ver “Famalicão”
Famalicão da Serra -
Fanhais –
Fanhões –
Faniqueira –
Fânzeres –
Fão – se a origem for latina, o significado é “templo” (fanum)
Faralhão -
Fareja (Pt. e Gz.) –
Farelo - aparece em "rio Farelo"
Farexa (Gz.) – o mesmo que “Fareja”
Faria –
Faria de Baixo –
Farilhões - em "Ilhéus dos Farilhões"
Farmelhão –
Farminhão
Faro –
Faro de Avión (Gz.) –
Farol –
Farrapa –
Fataca –
Fataunços - pronunc. “Fataúnços”
Fatela -
Fátima –
Faúlha –
Fava –
Favela – diminut. de “Fava”
Fazemão – ver “Oliveira de Fazemão”
Fazendas de Almeirim – ver “Almeirim”
Febres –
Febros –
Feijão –
Feijó – diminut. femin. de (Fajã)?
Feijoal –
Feira
Feira - em "Santa Maria da Feira"
Feitosa –
Feira da Lomba -
Feixoo (Gz.) – o mesmo que “Feijó”
Feira Nova –
Feleitosa (Mir.) – ver “Faleto” e “Felitosa”
Felgueira – o mesmo que “Fètal”, “Fèteira” e “Feiteira”
Felgueiras –
Feliteira –
Fendeirinha –
Feridouro –
Fermelã –
Fermentelos – diminutivo de foramontanos
Fermil – o mesmo que “Vermil”? variant. dialect.
Fermil de Basto –
Fermontelos – ver "Fermentelos"
Fernão Ferro –
Ferradura –
Ferragudo –
Ferral –
Ferraria –
Ferrarias –
Ferreira – o mesmo que “Ferraria”?
Ferreira-a-Nova –
Ferreira –
Ferreira do Alentejo –
Ferreira do Zêzere –
Ferreirim –
Ferreirinha – diminut. de “Ferreira”, posterior a “Ferreiró”
Ferreirinhos – diminut. de "Fereiros"
Ferreiró – diminut. de “Ferreira”
Ferreiros –
Ferrel –
Ferro –
Ferrocinto –
Ferroeira –
Ferrol (Pt. e Gz.) – ver “O Ferrol”. não tem que ver com os topónimos em "Ferrro..."
Ferrugende –

Fervedeiro – água termal borbulhante e quente. há um "Fervedeiro" na cidade de Ourense

Fervença –
Fervidelas –
Feteira –
Fiães da Feira –
Fiães do Rio –
Fiais – o mesmo que “Fiães”? ou plur. de “Fial”?
Fial –
Figueira –
Figueira da Foz – designação toponímica recente
Figueira de Castelo Rodrigo –
Figueira de Lorvão –
Figueirais –
Figueiral –
Figueiredo -
Figueiredo de Alva – ver “Alva”
Figueiredo das Donas –
Figueirinha – diminut. de “Figueira”
Figueiró – diminut. femin. de “Figueira”
Figueiró dos Vinhos –
Figueirosa –
Fijoz –
Filgueira (Gz.) – o mesmo que “Felgueira”
Filho –
Fisgas – quedas de água por uma fresta de grande altura
Fisgas do Ermelo –
Fisterra (Gz.) - em "Cabo Fisterra": “fim da terra”, “cabo do mundo”
Fitos –
Flamengos – terra povoada por gente vinda da Flandres
Flandes –
Flor da Rosa –
Fogadia –
Fogueira –
Fogueteiro –
Fóia –
Fóios –
Foja - aparece como hidrónimo: "rio Foja"

Fôjo – barranco, buraco fundo ou cova que se tapa com ramagens para caçar animais vivos

Fôjo do Lobo –
Folgares –
Folgoroso –
Folgosa do Salvador –
Folgoso do Courel (Gz.) –
Folgosinho – diminut. de Folgoso
Folhadela –
Folques –
Fontaínhas –
Fontanheira –
Fontão –
Fontassilba (Mir.) –
Fonte –
Fonte de Ançã – nascente da ribeira de Ançã
Fonte de Angeão – ver "Angeão”
Fonte Arcada –
Fonte Coberta –
Fonte da Cheira – o mesmo que “Fonte da Chã”
Fonte da Figueira Doida –
Fonte da Pulga –
Fonte da Senhora –
Fonte da Telha –

Fonte do Azeral – aqui é “nascente do azeral”, pelo que “ázere” está relacionado com “rio”

Fonte do Ídolo – em Braga, assim chamada por conter um baixo-relevo em pedra com o que se julga ser uma cena “baptismal” pré-cristã. contém o voto de Celico Fronto Abimogidus Aobrigensis e a inscrição “Tongoenabiago”. esta parece significar “ O (numen) da Fonte”, sendo esse numen um “Tongo” – divindade celta ligada aos juramentos. se esses juramentos ou juras forem de amor, temos aqui um “S. João”…”da Fonte”! quanto a “Aobrigense”, ver “Oimbra”.

Fonte dos Carros –

Fontela – diminut. fem. de “fons, fontis”: fontanella : fontenla : fontela

Fonte Ladrão – graf. correcta desconhec.
Fontelas – ver “S. Miguel de Fontelas”
Fontelo –

Fonteminha” (Gz.) - graf. altern. “Fontemiña”, "Fonmiña": lat. “fons” (fonte) + desc. “Minia”: “nascente do rio Minho”

Fontenla (Gz.) – var. dialect. de Fontela
Fontes –
Fonte Santa –
Fontinha – diminut. recente de “fonte”
Fontoura –
Forca –
Forcada –
Forcalhos –
Formiga -
Formigosa –
Formigueiro –
Formilo –
Formoselha –
Fornandais –
Fornão –
Fornas –
Fórnea –
Fórneas –
Fornelo - pronunc. “Fornêlo”: diminut. de “Forno

Foz - "foz" significa "boca", desembocadura" (de um rio no mar). ingl. "mouth”, como Plymouth

Foz (Gz.) -
Fozcoa -
Foz do Douro – também conhecida apenas por "Foz"
Foz do Arelho –
Foz de Arouce –
Foz de Moura –
Foz do Caneiro –
Foz do Cobrão –
Foz do Enxarrique –
Foz do Falcão -
Foz do Farelo –
Foz do Giraldo –
Foz do Lisandro -
Foz do Neiva –
Foz Tua -

sábado, 3 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra E

(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)


Ebo-
a Ext-


Ébora – ver “Évora”
Edral –
Edrosa –
Edroso –
Ega –

Eido (Pt. e Gz.) – terreno que rodeia a casa em que se vive ou viveu

Eidos (Pt. e Gz.)– plur. de “Eido”: “terra natal”
Eira –
Eira de Ana – preciosismo linguístico anacrónico por “Eiradana”?
Eirado –
Eira do Milhano – de “Emiliano”?
Eira Pedrinha –
Eiras –
Eiras Altas –
Eiras Maiores – “eiras grandes”
Eira Vedra –
Eirinha –
Eiró – diminut. de “Eira"
Eirol –
Eirós –
Eirozes –
Eixo –
Elvas –
Embra –

Encomenda - encontra-se em "Monte da Encomenda". está por “Monte da Comenda”?

Encontro – ponto de confluência de diversas vias
Encruzilhada – o mesmo que “Cruze” e “Cruz”
Endrinal (Mir.) – ver “Andrineiras” e “Andrinos”
Engenho –
Engo –
Engrade Grande –
Entalada –
Entre-Ambos-os-Rios –
Entre-as-Cabeças – ver "Cabeça"
Entre-os-Rios –
Entre Penedos –
Entrimo (Gz.) –

Entroncamento – lugar onde entroncam diversas vias, tendo em conta o destino principal

Entroncamento de Poiares –
Envendos –
Enxabarda –
Enxameia –
Enxames –
Enxara –
Enxara do Bispo –
Enxara dos Cavaleiros –

Enxarrique - hidrónimo: "ribeiro de Enxarrique"– ver “Enxar…+…rique”. cf. “Enxara”

Enxerim – foi chamada “Enxarim”. ver “Enxara”
Enxertada –
Enxerto –
Enxofães –
Enxudre –
Eo (Gz.) – desc.: “rio” (?) cf. “Ribadeo”
Erada –
Ereira –
Ericeira –
Ermelo - pronunc. “Ermêlo"
Ermesinde – “quinta ou propriedade de Ermenesindo”
Ermida –
Ermidas –
Ermidas do Sado –
Ermosende (Gz.) – o mesmo que “Ermesinde”
Erra –
Ervas Tenras –
Ervedal –
Ervedeira –
Ervedosa –
Ervedosa do Douro –
Ervideira – o mesmo que “Ervedeira”
Ervosas –
Escalhão –
Escalos –
Escalos de Cima –
Escamobois (Gz.) –
Escapães –
Escarigo –
Escariz –
Escarpão –
Escorna Bois -
Escoural – lugar de escórias de mineração
Escravitude (Gz.) -
Escudeiro –
Escudeiros –
Esculca –
Esculqueira (Gz.) –
Escurquela –
Escusa –
Esfarrapada (Gz.) –
Esfrega –
Esgos (Gz.) –
Esgueira –
Esmoriz –
Espada –
Espadacinta – em “Freixo de Espada à Cinta”
Espadanal – ver “Espada”
Espadanedo –
Espadaneira –
Espaio –
Espairo –
Espargo –
Espariz - pronunc. “Espàriz”
Especiosa –
Espiche –
Espichel - em "Cabo Espichel"
Espinhaço de Cão - este é na Serra da Estrela)
Espinhaço de Cão é orónimo. ver "Serra de Espinhaço de Cão"
Espinhal –

Espinheira – zona de “Espinhos”? ver "Espinho", "Espinhaço e "Espinhal"

Espinheiral – o mesmo que "Espinhal"
Espinheiro –
Espinhel –
Espinho – ponto alto (de uma serra, por exemplo)
Espinhosa –
Espinhosela – diminut. de "Espinhosa"
Espinhosa -
Espinhoso –
Espirra –
Espirra de Baixo –
Espite –
Espiunca –
Esporões –
Esqueiros –
Esquipa –
Estaca de Bares (Gz.) –

Estarreja – “estrada régia”? eusk. como “Biarritz”? era chamada “Vila do Antuã” quando recebeu de D. Manuel I o foral, em 15 de Novembro de 1519

Estás (Gz.) –
Este - hidrónimo. ver "rio Este"
Esteireiros –
Esteiro – o mesmo que “Arroio”
Esteiro do Gramatal –
Esteiro do Mar Santo –
Esteiros – plur. de “Esteiro”
Estela –
Estevais –
Estevianas –
Estivadas (Gz.) –
Estômbar –
Estorãos - de “Astúrias”, de “Astorga”: Asturianos, Astorganos
Estoril –
Estrada –
Estrada Velha –

Estrela - orónimo: ver "Serra da Estrela" – cruzamento de muitos caminhos? é um topónimo recorrente em toda a Europa, com especial incidência em França e na Península Ibérica: Esteille, Esterelle, Lizarra, …

Estrela d’Alva –
Estreitinha –
Estreito –

Estremadura - do lat. extrema durii: "os confins do Douro". designa(va), quer em Portugal quer em Espanha ("Extremadura"), os territórios conquistados aos reinos mouros. com o passar dos tempos, estas designações foram sendo empurradas para sul, perdendo a ligação de proximidade geográfica com o rio Douro.

Estremal –
Estremão –
Estremoz –
Esturãos – o mesmo que “Estorãos”: astures, vindos das “Astúrias”
Esturrado –
Eume (Gz.) - hidrónimo. rio Eume
Évora – desc.: "a (cidade) da (deusa) Iéborah” (Ebura)
Évora de Alcobaça –
Évora-Monte -
Extremaduira - ver "Estremadura"
Extremo -

quinta-feira, 1 de março de 2007

Topónimos Galego-Portugueses e Brasileiros - Letra D

(base de dados resultante de recolha pessoal. não está autorizada a sua utilização sem autorização expressa do autor)


Dad- a Dur-

Dadim –
Dafundo –
Dalvares –
Damaia – por “A-da-Maia”. ver “A-de-…”
Dão – ver rio Dão. ver “Ão”, “Om”, “Home”, “Homem”
Dardavaz –
Darque – por “d’Arque”?
Dáspera –
Deão –
Defesa – o mesmo que “Devesa”?
Degracias - o mesmo que "d'Égua"?
Dégua –
Deilão –
Delães - pronunc. “Dèlães”
Dem –
Deocriste –
Desejosa –
Destriz –
Deva (Gz.) –
Devaqueira -
Devesa (Pt. e Gz.) - pronunc. “Devêsa”
Dianteiro – por (Casal) Dianteiro – casal mais afastado de…
Digueifel –
Dine –
Dinez –
Dinha - hidrónimo: rio Dinha
Diogo Alves - ?
Dirão da Rua - será var. dialectal de "Durão"?
Dominguizo –
Donai –
Donairia –
Donas (Gz. e Pt.)
Donim –
Donões -
Dorna –
Dornes –
Dornelas – diminut. de "Dornas"
Dornelas do Zêzere -
Dossãos –
Douro – desc.: “dur-“, “rio, curso de água” (cf. "Durres", Albânia)
Drave –
Drizes –
Duas Igrejas – “dois povos” (?)
Dubra - rio (Gz.)
Dueça - hidónimo: rio Dueça
Dume –
Durão – “do (rio) Douro”?